Vendedores de legumes nos passeios sempre à espreita da polícia

by -29 views

Díli- Os vendedores de legumes nos passeios das ruas de Comoro, Fatuhada e Kampung Baru estão sempre à espreita da polícia e da equipa de gestão do Município de Díli, que os podem expulsar do local e apreender os seus produtos.

A venda de produtos nos passeios é proibida por perturbar a circulação de peões e provocar engarrafamentos, mas Josefina Soares, vendedora, mostra-se insatisfeita com a atuação da Polícia, que os proíbe de vender nos passeios, e defende que estão longe da estrada.

“Ficámos isolados em casa durante o período do estado de emergência. Trazemos agora as hortaliças para vender longe da estrada, mas apreenderam-nas e levaram-nas para o carro. Não estamos satisfeitos com isso. Consideramos esta uma atitude de ladrões. Vendemos, mas estamos sempre à espreita da polícia”, lamentou a vendedora, no passado domingo (28/06), aos jornalistas do Timor Post, em Kampung Baru, Díli.

Segundo Josefina, estes vendedores pretendiam vender no Mercado de Manleuana, mas, além de não terem espaço para as suas atividades, têm poucos clientes.

“Há hortaliças com fartura no mercado. Os compradores que moram longe do local não vão lá depois das 18h00. Vendemos, como tal, perto das habitações para que haja alguém que compre”, explicou.

Também a vendedora Berta Martins afirmou que continuam a vender à beira da estrada, mas com alguma distância.

“Vendemos em frente das lojas dos chineses. Vieram, expulsaram-nos e levaram as nossas hortaliças. Realizamos este negócio para sustentar a nossa família e para que os nossos filhos possam ir à escola”, lamentou, acrescentando que sente medo em relação a esta atividade.

De acordo com a observação do Timor Post no local, estas vendas em Kampung Baru causam muito frequentemente engarrafamentos. As patrulhas intensas da polícia obrigam os vendedores a abandonarem o local, mas voltam às suas atividades, quando as forças de segurança se vão embora. (res)