Universidades apelam a MESCC que apoie alunos com acesso a internet

by -43 views

DÍLI – As universidades privadas e públicas de Timor-Leste pediram ao Ministério do Ensino Superior, Ciência e Cultura (MESCC) que apoiasse os estudantes no acesso a internet gratuita para que todos acompanhem as aulas não presenciais.

“Quero bater à porta do Governo para que forneça gratuitamente internet aos estudantes e não dificulte a vida aos pais”, disse o Reitor do Instituto de Tecnologia de Díli (DIT, em inglês), Álvaro Menezes Amaral, ao Timor Post, esta segunda-feira (15/03), via telefone.

O académico lembrou também o facto de os pais serem obrigados a fazerem um esforço suplementar ao darem dinheiro aos seus filhos para então poderem efetuar o carregamento da internet e, deste modo, poderem participarem nas aulas em linha.

A situação, segundo Álvaro Amaral, causa transtorno àqueles com parcos meios financeiros, agravado ainda com a cerca sanitária imposta em Díli.

“Como os pais ficam em casa, não têm então dinheiro, o que contribui para uma situação ainda mais precária, agravada pela necessidade de efetuarem carregamentos da internet”, explicou.

O responsável destacou também a participação massiva dos universitários durante a semana no ensino a distância, ainda que alguns tenham enfrentado dificuldades, principalmente no acesso à internet.

“A maioria dos nossos estudantes participa neste processo de aprendizagem em linha. Contudo, alguns informaram já os docentes que, caso o Governo estenda a cerca sanitária, um grande número não poderá continuar a seguir as aulas em linha”, contou.

Já o Reitor da Universidade Nacional de Timor-Leste (UNTL), João Soares Martins, disse que esta instituição universitária não pôde ainda iniciar as atividades letivas por força da cerca sanitária em Díli. Lembrou, no entanto, que os docentes da universidade já estão familiarizados com o modelo de ensino a distância agora aplicado.

O académico afirmou ainda que o sucesso das aulas não presenciais depende da eficácia das operadoras de telecomunicações. A UNTL está, neste momento, como refere o Reitor, a usar a internet das operadoras da Telkomcel e Timor Telecom.

“Ainda não avaliámos o ensino em linha. Os professores continuam, contudo, a recorrer, com maior ou menor dificuldades, a este modelo de ensino”, referiu.

O reitor acrescentou que tanto os docentes como os estudantes pagaram do seu próprio bolso os diversos carregamentos de internet.

“Eles [docentes e estudantes] usam o seu próprio dinheiro para terem acesso à internet. Este cenário acarreta dificuldades aos pais. É preferível que o Governo dê apoio aos estudantes para acederem gratuitamente à internet”, concluiu.  (ono)