Trinta elementos da UPV recebem formação sobre investigação criminal

by -39 views

DÍLI- Trinta elementos da Unidade de Pessoas Vulneráveis (UPV) da Polícia Nacional de Timor-Leste (PNTL) provenientes dos 12 municípios e da região Administrativa Especial de Oé-Cusse Ambeno vão frequentar, ao longo de duas semanas, uma formação sobre investigação criminal no âmbito da Iniciativa Spotlight, financiada pela União Europeia (UE).

“Este curso é importante para a preparação dos nossos oficiais no atendimento aos mais vulneráveis, especialmente às mulheres e crianças”, disse o Vice-Ministro Interior, António Armindo, aos jornalistas, esta segunda-feira (07/09), após a abertura do curso destinado aos elementos da UPV, no Centro de Formação Académica da Polícia em Comoro, Díli.

O ministro referiu ainda que os conteúdos da formação foram fornecidos pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), através do Programa do Desenvolvimento da Polícia Timor-Leste (PDPTL), que trabalha em parceria com o Centro de Formação Académica da Polícia.

O governante destacou ainda a importância desta formação na medida em que o tema central constitui uma preocupação mundial no que toca às mudanças sociais e às novas tecnologias de informação e comunicação.

Já o Embaixador da União Europeia, Andrew Jacobs, manifestou a sua satisfação em relação ao interesse dos membros da UPV em adquirirem novos conhecimentos sobre a investigação de crimes de abuso sexual.

Andrew Jacob afirmou também que a iniciativa resulta de uma parceria global entre a União Europeia, Nações Unidas, líderes formais e informais, entre outras entidades, para combater qualquer violência baseada no género.

O representante do PNUD, Munkntuya Altangerel, disse, por sua vez, que o programa Iniciativa Spotlight, financiado em 15 milhões de dólares americanos e com a duração de três anos, tem como objetivo reduzir a violência baseada no género.

Segundo Munkntuya Altangerel, o programa em causa centra-se em cinco áreas prioritárias – legislação e política, fortalecimento institucional, prevenção da violência, fornecimento de serviços de qualidade e apoio dos movimentos das mulheres.

 Também o Comandante do Serviço de Investigação Criminal da PNTL, o Superintendente Chefe José Maria Neto Mok, disse que esta formação é essencial para os membros, com destaque para os investigadores criminais da UPV.

“Esta formação visa a capacitação dos membros na área da investigação criminal”, afirmou.

O superintendente acrescentou que o programa prevê a realização de outros cursos de formação na área da investigação, nomeadamente na investigação do crime geral e crime organizado. (f10)

No More Posts Available.

No more pages to load.