Timorenses consomem pouca carne

by -50 views

Díli — Júlio Amaral Tilman, analista económico timorense, alertou, no passado sábado (25/01), para o pouco consumo de carne por parte dos timorenses.

“A nossa produção agrícola e pecuária é insuficiente, levando, assim, a um número reduzido de consumo de carne no país”, afirmou ao Timor Post, no Campus da UNPAZ.

Segundo o analista, um indivíduo deveria consumir até cerca de 38 quilogramas de carne por ano, mas os timorenses ainda estão longe desse número.

“A quantidade e qualidade da produção pecuária no nosso país ainda são mínimas, afetando a procura no mercado”, insistiu.

O economista pediu, como tal, ao ministério relevante que criasse uma política de produção pecuária, colaborando com o setor privado com vista a garantir a qualidade e quantidade de carne para o consumo da população timorense.

“Os preços elevados da carne também causam uma diminuição do consumo”, recordou.

Já o Presidente da Câmara de Comércio e Indústria de Timor-Leste (CCI-TL), Óscar Lima, recordou que o setor privado tem atuado na área da pecuária, dando o exemplo do vice-presidente do CCI-TL, Rui Castro, um empresário bem-sucedido na criação de animais, incluindo de alimentação para suínos, a preços reduzidos.

“O setor privado coopera, entretanto, com o Governo para desenvolver a pecuária, através da criação de animais e da sua alimentação, para responder [às necessidades de] qualidade e quantidade de carne no mercado. Rui Castro é um dos responsáveis por esta área, tendo registado sucesso no seu percurso”, recordou.

“O objetivo desta política é responder à procura do mercado e desenvolver a economia do país”, afirmou.

Respondendo a esta questão, a Diretora-Geral do Ministério da Agricultura e Pescas, Maria Odete do Céu Guterres, garantiu que o Executivo se empenhará no próximo ano em desenvolver o setor da suinicultura em todos os municípios, tendo já começado com Covalima, Baucau e Manufahi.

“Não me lembro exatamente dos dados relativos a estes animais, mas quero dizer-vos que o MAP já iniciou a criação de porcos em Covalima, Baucau e Manufahi”, lembrou.

Questionada sobre o elevado preço da carne vermelha, 8 dólares por quilograma de carne de vaca e 7 de porco, a responsável reconhece que é uma situação que leva à redução do consumo, “apesar do constante empenho do Governo”. (Jxy)