Taur pede a MNEC e a MTCI consolidação da cooperação com ASEAN e aposta no turismo interno

by -29 views

Díli – O Primeiro-Ministro, Taur Matan Ruak, pediu, em reuniões com os ministros dos Negócios Estrangeiros e Cooperação (MNEC) e do Turismo, Comércio e Indústria (MTCI), Adaljiza Magno e José da Silva, que fosse consolidada a cooperação entre os países da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) e se apostasse no turismo dentro de portas.

“O Primeiro-Ministro apelou ao MNEC que fortalecesse a cooperação entre os países da ASEAN para que se torne ainda mais visível”, afirmou Adaljiza Magno, em declarações aos jornalistas, na quinta-feira (02/07), no Palácio do Governo.

A governante destacou ainda a importância de se apostar nos órgãos multilaterais, promovendo, assim, o país.

Adaljiza Magno referiu, de igual modo, que foram abordadas, durante a reunião, questões ligadas ao MNEC bem como o processo de adesão de Timor-Leste à ASEAN.

Também o Ministro do Turismo, Comércio e Indústria, José Lucas do Carmo da Silva, recebeu instruções do Chefe do Governo para o arranque do trabalho.

“Apesar de estarmos a trabalhar há uma semana, normalmente é preciso tempo para recebermos orientações de trabalho”, disse.

José da Silva referiu ainda a necessidade de se olhar para os programas e de coordenação com as linhas ministeriais.

O governante revelou, de igual modo, que o Chefe do Governo apelou também ao MTCI que efetuasse uma análise eficaz relativa aos programas do ministério relacionados com as questões regionais e internacionais.

“Gostaria apenas de resumir que o Primeiro-Ministro nos pediu que respondêssemos às necessidades da sociedade, apostando principalmente no turismo interno devido à crise sanitária provocada pela covid-19”, referiu.

O ministro sublinhou ainda a relevância da aposta nos setores do turismo e comércio, investindo sobretudo no turismo dentro de portas e no mercado interno e utilizando os recursos existentes de modo a que beneficiem a própria sociedade.

“Compramos o que produzimos. Devemos controlar a venda de produtos no mercado”, sugeriu.

José Luís acrescentou que efetuaria, durante esta semana, reuniões com os diretores-gerais para discutirem os programas a curto prazo. (kyt)