SAMES preparado para armazenar primeiras vacinas contra covid-19

by -43 views

DÍLI- O Serviço Autónomo de Medicamentos e Equipamentos de Saúde (SAMES) está preparado para armazenar as primeiras vacinas da AstraZeneca.

 “O armazém central está preparado para receber a vacina. Temos também preparados medicamentos para os efeitos da vacina”, afirmou o Diretor-Executivo do SAMES, Santana Martins, esta terça-feira (23/02), em Kampung Alor.

“Neste momento, estamos a verificar o espaço para o armazenamento dos 20% de vacinas. Temos uma sala refrigerada, uma sala frigorífica e outra sala com a temperatura entre os 2ºC e 8.ºC. A sala frigorífica terá temperaturas entre os -15ºC e – 25ºC. Os requisitos para estas vacinas são de 2.ºC a 8.ºC”, afirmou.

“Devíamos ter instalado o espaço para a vacina no mês de dezembro do ano passado. Contudo, tal não aconteceu devido à crise sanitária, que causou um atraso na vinda destes materiais”, acrescentou.

O dirigente referiu também que a instituição está a trabalhar em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância para aquisição de seringas e uma caixa de segurança, que deverão chegar a 27 de fevereiro.

Santana Martins adiantou ainda que a instituição propõe também criar mais espaços para o armazenamento das 80% de vacinas.

“Apresentámos mais propostas para a criação de novos armazéns para a vacina nas regiões de Ainaro, Baucau, Bobonaro e RAEOA [Região Administrativa Especial de Oé-Cusse Ambeno]. Hoje, a equipa técnica fez a apresentação final ao Ministério do Saúde para que sejam analisadas”, acrescentou.

Santana Martins afirmou igualmente que serão necessários mais transportes para a distribuição das vacinas.

“Temos, neste momento, apenas uma viatura. Se realizarmos a vacinação de uma só uma vez, não temos muitas condições, nomeadamente carros para distribuir as vacinas”, disse.

Segundo o dirigente, há um compromisso entre o Governo timorense e o homólogo nipónico para a Agência Japonesa de Cooperação Internacional (JICA, em inglês) oferecer brevemente uma carrinha de caixa fechada que facilite a distribuição das vacinas nos municípios.

“É preciso tempo para transportar a vacina para a RAEOA. Por isso, propusemos um carro para este enclave”, acrescentou.

O responsável recordou, por fim, que deverá ser dada prioridade à vacinação dos habitantes das fronteiras. (isa)