SAMES deteta fármacos sem qualidade

by -54 views

Díli- O Diretor do Serviço Autónomo de Medicamentos e Equipamentos de Saúde (SAMES), Santana Martins, revelou que esta entidade colaborou com a equipa conjunta da Comissão Anti-Corrupção (CAC) na identificação de fármacos sem qualidade.

Segundo o comunicado a que o Timor Post teve acesso, o responsável pelo SAMES refere que, após uma ter sido levada a cabo uma operação de fiscalização, foram identificados determinados medicamentos, em particular Amocillin, de qualidade duvidosa, o que levou o Primeiro-Ministro, Taur Matan Ruak, a dar o sinal de alerta para o caso.

“A equipa do SAMES rejeitou, na sequência dos resultados dos testes laboratoriais efetuados na Austrália, o medicamento Amocillin por falta de qualidade”, cita o comunicado da passada sexta-feira (23/10), no portal da CAC.

Como refere ainda o documento, após terem chegado às mãos do SAMES,  o seu diretor, Santana Martins, decidiu encaminhá-los para  a Austrália de modo a serem sujeitos à realização de ensaios clínicos capazes de atestar a sua eficácia e segurança.

Segundo a nota, teve lugar, na passada quinta-feira (22/10), uma ação de fiscalização levada a cabo pela CAC, Provedoria dos Direitos Humanos e Justiça (PDHJ), Inspeção-Geral do Estado e pela Comissão da Função Pública (CFP) com o intuito de averiguarem o equipamento armazenado no SAMES, em Kampung Alor.

O mesmo documento refere que a operação teve uma duração de três horas, período durante o qual os peritos puderam inspecionar diversos fármacos, com destaque para o Amocillin, Eritromicyn e Dopamine.

O portal afirma ainda que a CFP deu instruções ao diretor do SAMES para que fosse entregue toda a documentação relativa ao aprovisionamento dos medicamentos, sublinhando que, em caso de deteção de eventuais irregularidades no seu processo de aprovisionamento, a CFP agirá administrativamente em relação à gestão do SAMES.

Recorde-se que a operação levada a cabo, na passada segunda-feira (19/10), no Farol, surgiu na sequência do encontro entre o responsável da CAC,  Sérgio Hornai,  e os comissários-adjuntos Augusto Castro,  Luís Sampaio e Alexandre Freitas, acompanhados do Diretor-Geral do Serviço de Cooperação, Carlos Bento Mau Bere, a Provedora de Direitos Humanos e Justiça,  Jesuína Gomes, e o Inspetor-Geral do Estado, Francisco de Carvalho. (*)

No More Posts Available.

No more pages to load.