PR pede a população precaução em relação a covid-19

by -56 views

DÍLI- O Presidente da República, Francisco Guterres ‘Lú Olo, pediu à população precaução em relação à covid-19 após o término do estado de emergência.

“Na próxima semana, termina a segunda fase do estado de emergência. Contudo, o Presidente da República quer relembrar os alertas da Organização Mundial de Saúde de que o coronavírus é uma doença que não pode ser mitigada em breve. Devemos estar atentos, sobretudo porque ainda não existe nenhuma vacina para esta doença”, afirmou o Chefe de Estado, na sua mensagem do Dia Restauração da Independência de Timor-Leste.

‘Lú Olo’ elogiou também o esforço e trabalho do Governo, dos profissionais de saúde, dos técnicos timorenses e internacionais e de outras entidades relevantes no combate ao novo coronavírus no país.

“O VIII Governo Constitucional, liderado pelo Primeiro-Ministro, Taur Matan Ruak, tem levado a cabo um esforço concertado e um trabalho conjunto com todas as instituições, os técnicos timorenses e internacionais, as confissões religiosas, a sociedade civil e toda a população para a prevenção da covid-19 no país. Este sucesso dá-nos a nós, timorenses, orgulho e faz-nos amar a nossa terra e o povo”, recordou.

Apesar do sucesso na luta conta o novo coronavírus, ‘Lú Olo’ recordou os efeitos nefastos que a doença teve para a economia timorense.

“O Presidente da República está consciente de que a nossa atividade económica não correu bem. O nosso Produto Interno Bruto também caiu. Segundo o relatório anual do Banco Central, a nossa economia começou a crescer um pouco no ano passado, mas recuou este ano 1%”, recordou.

O Chefe de Estado lembrou ainda outros fatores que levaram a uma queda da economia – o chumbo do OGE no Parlamento Nacional e as cheias em Díli.

“Com menos rendimentos, as famílias perderam força para adquirir produtos alimentares e outros produtos necessários. Esta situação obrigou o VIII Governo a aprovar e começar a implementar o pacote económico de 150 milhões de dólares para responder à covid-19 e a outros estragos causados pelas cheias em Díli”, afirmou. (isa)