PNTL garante segurança nos locais de quarentena

by -28 views

DÍLI – O Comandante-Geral da Polícia Nacional de Timor-Leste (PNTL), Comissário Faustino da Costa, revelou na segunda-feira (23/03) que teve um encontro com o Comandante do Município de Díli e diretores da PNTL para debaterem a questão da disseminação de informação acerca das medidas de segurança para os passageiros que chegaram recentemente ao país e se encontram atualmente em quarentena em diferentes locais criados pelo Governo timorense.

“Apesar de os agentes policiais garantirem a segurança nos locais de quarentena em Díli, existem alguns sítios que foram alvo de apedrejamento por parte da comunidade local. Este protesto deveu-se à falta de informação relativa à propagação do novo coronavírus (Covid-19). Graças às explicações, quer dos membros da PNTL quer das autoridades locais, os residentes acabaram por aceitar as explicações, aliviando o clima de contestação que pairou na altura”, afirmou o comissário aos jornalistas, à margem de um encontro, no Quartel-Geral da PNTL, em Caicoli.

Recorde-se também que o Governo tinha antes decidido tomar medidas para garantir a saúde pública, em particular dos cidadãos que regressam dos países afetados por Covid-19, visto que já se registou um primeiro caso positivo em Timor-Leste.

Faustino da Costa lembrou que a quarentena não significa que as pessoas tenham contraído o vírus.

O Comandante-Geral da PNTL referiu, de igual modo, que um dos objetivos do Executivo é não deixar que os recém-chegados se desloquem pelo território, facto que poderá pôr em causa o trabalho do Ministério da Saúde para travar eventuais cadeias de transmissão pelo Covid-19.

Faustino da Costa afirmou ainda que a ação de protesto dos residentes de Tíbar sobre a escolha do local de isolamento se deveu à falta de disseminação de informações por parte do Executivo, sublinhando também que a comunidade ficou apreensiva com informações falsas divulgadas nas redes sociais.

Segundo o comissário, os recém-chegados não foram bem recebidos pelos próprios familiares e vizinhos, tendo inclusive solicitado apoio à polícia.

Faustino da Costa apelou, por fim, às autoridades locais e à população em geral que dessem o seu contributo para que o trabalho da equipa médica seja efetuado sem nenhum constrangimento e não escondessem familiares que cheguem a Timor-Leste, medidas que visam evitar que os timorenses possam ser infetados pelo vírus. (res)