MS regista 2015 pacientes com deficiência mental

by -44 views

DÍLI – O Departamento de Doenças não Contagiosas e Mentais do Ministério da Saúde (MS) registou, no ano passado, 2015 pacientes com transtornos mentais.

“Das 2015 pessoas com doenças mentais, 937 são homens”, disse a Responsável do Programa de Saúde Mental, Anabela Guterres, em declarações aos jornalistas, na quinta-feira (04/06), em Lahane.

Segundo Anabela Guterres, cada centro de saúde no território dispõe de um responsável do Programa de Saúde Mental e, por isso, o tratamento da doença pode ser feito no terreno.

Recorde-se que a Organização Não Governamental (ONG) Recuperação Psicossocial e Desenvolvimento em Timor-Leste (PRADET, em inglês) era, em 2004, a primeira responsável do programa. A PRADET delegou, a partir de 2005, competências no MS, cujo departamento formou, desde então, mais de 200 profissionais de saúde.

“Existem nove tipos de diagnóstico para o tratamento. Os pacientes com transtornos mentais graves são transportados para o centro de saúde de Laclubar, que agrupa apenas 12 pessoas, sendo que metade são mulheres. Lá, o tratamento é baseado nos critérios. O paciente só poderá lá ficar até ao máximo de três meses. Após aquele período, quando estão recuperados, são entregues à família”, afirmou.

A responsável sublinhou igualmente que os pacientes com transtornos mentais ligeiros ficam em casa e recebem tratamento médico nos seus centros de saúde. Quanto àqueles com deficiências motoras, são mensalmente acompanhados por profissionais de saúde a partir de casa.

Anabela Guterres lembrou, de igual modo, que mais de 50 pessoas com deficiência mental ligeira já recuperaram, desde 2005, sendo necessário um período mais longo para a recuperação daqueles com problemas mais graves.

“O melhor fármaco para as pessoas com transtornos mentais é dar acompanhamento, pois, à medida que os acompanhamos, a doença também vai desaparecendo. Não há um medicamento psiquiátrico que as possa curar de imediato”, disse.

A responsável referiu também que se encontram, neste momento, nove pacientes com problemas mentais graves no centro de saúde de Laclubar, acrescentando que o hospital dispõe de cuidados agudos que dá tratamento médico àqueles com problemas ligeiros.

“O nosso hospital dispõe de cuidados agudos, recebendo apenas pessoas com transtornos de saúde mental ligeiros. O tratamento é apenas de duas semanas. Após isso, regressam à família e são acompanhados frequentemente por um enfermeiro”, concluiu. (jry)