MS distribui mais de 10 mil doses de vacina por municípios

by -189 views

DÍLI- O Ministério da Saúde (MS) procedeu, esta quinta-feira (08/04), à distribuição de 10.810 mil doses da vacina da AstraZeneca contra a covid-19 pelos municípios de Baucau, Lautem, Ermera, Covalima, Ainaro, Liquiçá e Bobonaro.

Do total de doses da vacina a serem distribuídas, 590 doses destinam-se a Aileu, 690 a   Ainaro, 1.730 a Baucau, 1.080 a Bobonaro, 920 a Covalima, 900 a Ermera, 750 a Lautem, e 620 a Liquiçá.

Para além destes municípios, Manatuto ainda receberá 590 doses, Manufahi 680 e a Região Administrativa de Oé-cusse Ambeno (RAEOA) terá direito a 1.360 doses.

A Diretora-Geral da Prestação de Serviços de Saúde do MS, Odete Viegas, recordou, entretanto, que Timor-Leste deu ontem o tiro de partida para a Campanha Nacional de Vacinação contra a covid-19.

“A distribuição das doses da vacina da AstraZeneca está de acordo com o número de profissionais da linha da frente existentes em cada município”, disse a dirigente, à margem da cerimónia oficial de distribuição da vacina contra a covid-19 aos municípios, que teve lugar em Campo Alor, Díli.

Odete Viegas recordou ainda que este primeiro lote de vacinas se destina aos profissionais da linha da frente, nomeadamente aos da saúde, Falintil-Forças de Defesa de Timor-Leste (F-FDTL), Polícia Nacional de Timor-Leste (PNTL), profissionais de comunicação social, pessoal de Imigração e Alfândegas.

“Ontem, no arranque do Programa Nacional de Vacinação contra a covid-19, foram administradas vacinas a 120 pessoas.  Para tal, foram usados 12 frascos de vacina”, lembrou.

Segundo a dirigente, o ministério cumprirá o plano traçado no programa de vacinação que passa por garantir, numa primeira fase, a distribuição da vacina da AstraZeneca aos profissionais da linha da frente de todos os municípios.

Questionado sobre o facto de alguns membros do Governo e parlamentares terem recebido ontem a primeira dose da vacina, Odete Viegas explicou que, no âmbito do lançamento da campanha de vacinação, as pessoas que marcaram presença na cerimónia poderiam, caso o manifestassem, receber a primeira dose da vacina.

Sublinhou, contudo, que as 24 mil doses da vacina serão administradas a todos os profissionais que estiveram na linha da frente.

“A administração desta vacina destinada ao pessoal da linha da frente está prevista durar duas semanas”, referiu.

Odete Viegas acrescentou, por último, que, no caso de virem a sobrar doses da vacina no final do processo de administração aos profissionais da linha da frente, as mesmas serão aproveitadas para administrar às pessoas mais vulneráveis, doentes e idosos.

Também o Diretor do Serviço Autónomo de Medicamentos e Equipamentos de Saúde (SAMES), Santana Martins, disse que uma equipa de saúde deu início ao processo de distribuição das vacinas para os diferentes municípios.

“Hoje, a equipa de saúde iniciou a distribuição dos lotes da vacina da AstraZeneca com destino aos serviços de saúde dos municípios. O objetivo é que o nosso pessoal da linha da frente seja vacinado nesta primeira fase da campanha de vacinação”, referiu.

Segundo o dirigente, o cumprimento dos prazos estabelecidos no que diz respeito à distribuição das vacinas dependerá muito do estado das estradas do território, visto que o país foi recentemente fustigado por inundações e cheias que deixaram um rasto de destruição em vários municípios.

Santanas Martins recordou ainda que o SAMES tinha antes efetuado a distribuição de câmaras de refrigeração e de câmaras frigoríficas para todos os municípios.

“Distribuímos já as câmaras de refrigeração e câmaras frigoríficas onde serão guardadas as doses da vacina. Toda a equipa afeta aos municípios está devidamente preparada para receber estas doses de vacina”, referiu.

De acordo o responsável, a durabilidade da vacina é de aproximadamente um mês, pelo que todo o processo de distribuição deverá estar concluído dentro de duas semanas.

Santana Martins acrescentou que as autoridades de saúde de Díli trabalham em parceria com o Serviço de Saúde Regional da RAEOA para assegurar o transporte da vacina até ao enclave de Oé-Cusse. (isa)