Morre ex-presidente Jorge Sampaio, um defensor da independência de Timor-Leste

by -143 views
Dili, EAST TIMOR: Portugal's President Jorge Sampaio (L) is greeted by his East Timorese counterpart Xanana Gusmao upon his arrival in Dili, early 21 February 2006. Sampaio arrived in the East Timorese capital of Dili for a three-day official visit. East Timor was a Portuguese colony for more than 400 years until 1975, after which it was invaded and occupied by Indonesia. A referendum in August 1999 led to the territory coming under UN tutelage before gaining independence three years later. AFP PHOTO/Alves CANDIDO (Photo credit should read ALVES CANDIDO/AFP via Getty Images)

Morreu em Portugal nesta sexta-feira o ex-chefe de Estado português, Jorge Sampaio, presidente da República durante dois mandatos, entre 1996 e 2006. Sampaio destacou-se pela forma como acompanhou a transição de Macau e o processo da independência de Timor-Leste.

Jorge Sampaio, que tinha 81 anos, estava internado no Hospital de Santa Cruz, na capital portuguesa, desde o dia 27 de agosto, depois de ter sentido dificuldades respiratórias.

Nascido em Lisboa em 1939, foi eleito em 1989 líder do Partido Socialista português. Na mesma época, foi também eleito presidente da Câmara de Lisboa e reeleito em 1993.

Depois da passagem pela Presidência da República, Jorge Sampaio foi nomeado em 2006 pelo secretário-geral da Organização das Nações Unidas enviado especial para a Luta contra a Tuberculose. Entre 2007 e 2013, ele foi alto representante da ONU para a Aliança das Civilizações. 

Jorge Sampaio fica na história pela forma como dirigiu a transição de Macau e o processo da independência de Timor-Leste, sendo agraciado com o Grande Colar da “Ordem de Timor-Leste”, em “profundo reconhecimento” pela “solidariedade e apoio ativo” na luta pela independência.

Na visita ao país, em 2000, o ex-presidente português comprometeu-se a “reconstruir esta pátria destruída” e a “arranjar emprego e escolas para as crianças de quem depende o futuro de Timor”.

Ramos-Horta, ex-presidente timorense, recordou em entrevista um homem que sempre esteve ao lado do seu país.

“Estive com ele inúmeras vezes. Nos anos mais difíceis de Timor-Leste, nos anos mais esquecidos, em que Timor não era matéria de primeira página nem em Portugal, quanto mais no resto do mundo. Jorge Sampaio desde cedo, pela sua alma, pela sua personalidade de humanista, sempre se preocupou e se solidarizou com Timor-Leste”, recordou Ramos-Horta. (RFI)

No More Posts Available.

No more pages to load.