MNEC pede investigação a estrangeiros que chegaram a Jaco para determinar o seu estatuto

by -33 views

DÍLI- O Ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Dionísio Babo, pediu ao Ministério da Defesa e Segurança que, antes da deportação, investigasse os 11 vietnamitas e dois indonésios encontrados na passada sexta-feira (12/06), no ilhéu de Jaco, para determinar o seu estatuto e atuar em conformidade.

“Neste momento, a Polícia da Migração e o Ministério da Defesa e Segurança estão a tratar deste assunto e, por isso, devem investigar para sabermos qual o estatuto destas pessoas, se foram trazidas pela corrente por terem ficado sem combustível ou se queriam ir para outro país”, afirmou.

Segundo Dionísio Babo, o Centro Integrado de Gestão de Crise (CIGC) está também a trabalhar em parceria com o Ministério da Defesa e Segurança e o Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação (MNEC) para resolver esta questão.

“Já informámos o Governo do Vietname sobre os seus cidadãos que estão neste momento cá. O Executivo vietnamita respeita [a nossa decisão de conduzir investigações]. Se foram trazidos pela corrente, deveremos deportá-los, mas, caso haja outras razões, teremos de ver quais os procedimentos, pois estão cá a Organização Internacional para as Migrações e a Organização das Nações Unidas, com as quais podemos contactar para resolver esta questão”, acrescentou, recordando que Timor-Leste deve respeitar as leis internacionais.

Recorde-se que, na passada sexta-feira, 11 cidadãos vietnamitas e dois indonésios foram encontrados por pescadores no ilhéu de Jaco. Os dois indonésios de Timor Ocidental explicaram que foram pagos pelos cidadãos vietnamitas para os transportar para Darwin, na Austrália, informação que estes rejeitam. A embarcação terá ficado sem combustível e sido levada pela corrente para o ilhéu timorense.

Milhares de refugiados partem anualmente da Indonésia em barcos com poucas condições para chegarem à costa da Austrália. Alguns morrem no mar, enquanto outros são detetados e levados para centros de detenção. (isa)