MEJD envidará esforços para alocar verbas às escolas

by -51 views

Díli – O Ministério da Educação, Juventude e Desporto (MEJD) está a envidar esforços para alocar o orçamento da concessão escolar aos estabelecimentos de ensino que ainda não o receberam para que preparem as medidas de prevenção da covid-19.

A Ministra da Educação, Juventude e Desporto (MEJD), Dulce de Jesus, pediu, por isso, “paciência” aos dirigentes escolares a quem ainda não foi disponibilizada a concessão, uma vez que o MEJD se está a coordenar com o Ministério das Finanças a fim de resolverem a questão.

Segundo a governante, para que sejam garantidas as medidas de prevenção da covid-19 nas escolas, os seus diretores “têm de ser criativos, diligentes e responsáveis, pois o MEJD delegou competências para que cada estabelecimento escolar encontrasse meios para a implementação destas medidas”.

“Embora disponhamos de orçamento para a aquisição de equipamentos sanitários para a prevenção da covid-19, ainda não os recebemos. Temos, então, de ter paciência e as escolas devem ter criatividade para os prepararem”, afirmou. Sublinhou, como tal, que os estabelecimentos de ensino podem utilizar a concessão escolar para disponibilizar todas estas condições higiénicas.

Também o diretor da Escola Técnico-Vocacional (ETV) de Becora, Adérito da Costa, revelou que este estabelecimento escolar ainda não recebeu, desde outubro de 2019, o orçamento da concessão escolar.

“Ainda não recebemos a concessão escolar desde outubro do ano passado. Temos, então, dificuldade em preparar estas condições. Ainda não preparámos nenhum dos equipamentos sanitários. Vamos esforçar-nos, embora ainda não disponhamos de verbas”, garantiu.

O professor pediu, desta forma, ao MEJD que acelerasse a concessão de modo a que as escolas possam iniciar já a preparação das medidas de prevenção da covid-19.

“Estamos agradecidos, mas, até à data, o MEJD ainda não nos deu a verba. Não temos capacidade em termos financeiros para preparar estas medidas. No entanto, vamos esforçar-nos para disponibilizar baldes, através da contribuição dos estudantes”, referiu.

Adérito da Costa lembrou também que a ETV possui água, mas não tem tanques por falta de verbas.

Para fazer face a esta situação, o diretor recordou igualmente que tinha previamente avisado os estudantes para trazerem máscaras e lavarem as mãos, antes e depois das aulas, quando retomarem as atividades letivas.

“Vamos limpar as salas de aula e montar as carteiras conforme as necessidades do distanciamento físico. Cada sala terá só 20 alunos”, assegurou.

Para o dirigente, apesar de o MEJD ter imposto regras para a retoma das atividades letivas, alguns estabelecimentos de ensino não vão conseguir cumprir todas as medidas devido à falta de orçamento.

O diretor lembrou igualmente que a sua escola ainda não deu início à preparação de equipamentos sanitários, pois está ainda em fase de limpeza do recinto escolar. (ono)