MCAE apela a investimento na agricultura e turismo

by -46 views

DÍLI- O Ministro Coordenador dos Assuntos Económicos, Joaquim do Amaral, apelou, esta quinta-feira (17/09), ao investimento timorense e estrangeiro nos setores da agricultura e turismo.
“Quero encorajar outros investidores a seguirem as cinco empresas que contribuem para o desenvolvimento, sobretudo nos setores produtivos, para que o Governo melhore o ambiente de negócios”, afirmou o ministro, na sequência da entrega das declarações de benefícios a cinco empresas por parte da agência de desenvolvimento timorense, a TradeInvest.

O ministro mencionou também o papel das empresas na retoma económica do país.

“O Governo considera o setor privado um parceiro importante para trabalhar no âmbito da recuperação económica para que possamos ultrapassar esta fase até ao mês de dezembro. Podemos, por isso, reiniciar uma fase de desenvolvimento em 2021”, afirmou, recordando as medidas tomadas pelo Governo para a retoma da economia.

Joaquim do Amaral destacou igualmente o papel do Serviço de Registo e Verificação Empresarial (SERVE), mas também da TradeInvest e da Autoridade Aduaneira no apoio às empresas e recuperação económica.

“Quero elogiar, em nome do Governo, a Autoridade Aduaneira e TradeInvest de Timor-Leste, porque, através dos seus esforços, conseguiram levar a cabo muitas reformas lançadas pelo Governo e, em particular, criar um bom ambiente de negócios, rápido e transparente, ajudando as nossas empresas a participar em fases importantes, como esta agora da recuperação económica”, afirmou.

Recorde-se que a TradeInvest atribuiu, esta quinta-feira (17/09), as declarações de benefícios a cinco empresas, que incluem investidores nacionais e estrangeiros.

Receberam as declarações de benefícios as empresas Comve, em Lospalos, a Compass Boat Charter & Diverses Unipessoal de Ataúro, a Acelda Unipessoal de Vemasse, em Baucau, a Dos Santos Agropec Unipessoal, em Atabae, Bobonaro, e a Agropro Corporation, de Maubara, em Liquiçá.

A declaração de benefícios permite, entre outros, uma isenção de impostos a 100%, durante cinco anos no município de Díli, oito anos em outros municípios e dez anos em Ataúro e região de Oé-Cusse. (isa)

No More Posts Available.

No more pages to load.