MAP aposta na produção de hortícolas nos municípios para reduzir importação

by -49 views

DÍLI- O Ministério da Agricultura e Pescas (MAP) está a investir no cultivo de produtos hortícolas e na plantação de árvores de fruto nos municípios para reduzir a importação no país, tendo já adquirido sementes e árvores, revelou o Diretor Nacional de Agricultura, Horticultura e Extensão do MAP, Amaro Ximenes.

“A importação de produtos, nomeadamente de cebolas e alhos, é, neste momento, muito elevada. Estamos a dar prioridade à produção de cebolas, alhos, arroz vermelho, soja, feijão mungo e outras espécies de feijão”, afirmou o diretor à margem da discussão, esta quarta-feira (23/09), com a Comissão B do Parlamento Nacional.

Segundo o dirigente, Baucau está já a produzir toneladas de produtos como cebolas e alhos.

“São cerca de 142 os grupos de agricultores de Baucau. Além destes, há também em Maliana. Estamos a cooperar com uma direção de agrocomércio para a venda nas Lojas dos Agricultores, no Timor Plaza, em Fatuhada, e Amigo Toos Na’in em Bidau”, acrescentou.

Amaro Ximenes recordou ainda que Timor-Leste já não necessita de importar sementes de milho, amendoim e arroz bem como de batata europeia.

“O nosso orçamento do Fundo Covid-19 não foi usado para adquirir batatas do tipo europeu, porque compramos 20 toneladas no próprio país, a 150 mil dólares, em Ainaro, nos postos administrativos de Hatubilico e Maubisse. Estimamos, para este ano, 200 toneladas para cultivo”, afirmou, acrescentando que foram também adquiridas sementes de feijão mungo.

Amaro Ximenes lembrou que o Governo não previu verbas no Orçamento Geral de Estado (OGE) de 2020 para a Direção Nacional de Agricultura, Horticultura e Extensão, mas recebeu algumas do Fundo Covid-19 num valor superior a 40 milhões de dólares americanos, que permitem também comprar sementes em Timor-Leste.

“Comprámos 120 toneladas de diferentes variedades de milho na Associação de Produtores de Sementes Comerciais de Timor-Leste. Além destas, comprámos 105 toneladas de uma variedade de arroz. Adquirimos também sementes para legumes no estrangeiro, devido ao país ainda não as possuir, nomeadamente brócolos, tomates, mostarda, espinafres, entre outras, num total de 13 itens”, afirmou.

Amaro Amaral recordou que o ministério adquiriu também 131 mil árvores de fruto, que serão distribuídas por todo o território e que vieram de Baucau, Manatuto, Manufahi, Liquiçá, Ermera e Ainaro.

O diretor lembrou ainda que já fizeram a distribuição de sementes de milho a Ainaro, Ermera, Manufahi, Aileu, Liquiçá e Maliana, faltando apenas os municípios de leste. (isa)

No More Posts Available.

No more pages to load.