MACLN admite existência de indivíduos que falsificam documentos de veteranos

by -49 views

DÍLI- O Ministro para os Assuntos dos Combatentes da Libertação Nacional (MACLN), Júlio Sarmento da Costa ‘Meta Mali’, admitiu o envolvimento de funcionários afetos à Comissão de Homenagem de Supervisão do Registo e Recursos dos Veteranos em atos ilícitos, pondo em causa o bom nome da instituição.

Segundo o governante, o MACLN tem colaborado com a justiça no sentido de proceder à identificação dos indivíduos que se fazem passar por veteranos, suspeitos do crime de falsificação de documentos.

“Há certas pessoas que se envolvem em ‘jogos sujos’, indivíduos que violam as regras e as normas legislativas bem como a nossa Constituição.  Por isso, deverão enfrentar a justiça”, disse ‘Meta Mali, esta terça-feira (15/12), aos jornalistas, no Palácio Presidencial, em Aitarak-Laran, Díli.

“Todas as coisas devem ser colocadas cada uma no seu devido lugar. Assim, compete somente ao Tribunal identificar os indivíduos suspeitos de falsificarem documentos, sejam homens ou mulheres. Caso haja alguém suspeito de ter cometido este crime e que continue à solta sem ter sido chamado à justiça, a pergunta não deve ser dirigida ao ministério [MACLN]”, frisou Júlio da Costa.

O ministro prometeu, entretanto, cancelar o subsídio a quem venha a infringir as regras, sobretudo no que respeita ao tratamento da documentação de veteranos.

Já o docente de assuntos políticos da Universidade Nacional Timor Lorosa’e (UNTL) Custódio Ximenes destacou as dificuldades da Comissão de Homenagem, responsável pela supervisão, registo e recursos dos veteranos, na identificação dos infratores em causa.

“A meu ver, para podermos solucionar o problema, devemos elaborar uma espécie de tabela de classificação, contendo todos os nomes dos veteranos. Sem isto, tornar-se-á difícil chegar a uma solução”, sublinhou.

O decano sugeriu igualmente à Comissão de Homenagem que fosse apurado de forma detalhada o contributo de cada veterano durante a luta pela independência.

Recorde-se que já antes o Procurador-Geral da República (PGR), José Ximenes, tinha questionado o trabalho realizado pela Comissão de Homenagem no que diz respeito ao envolvimento de veteranos na falsificação de documentos.

As declarações do PGR surgiram na sequência da acusação feita pelo Ministério Público dirigida a sete pessoas, suspeitos de falsificação de documentos, no Município de Bobonaro em novembro deste ano. Acrescentou que, até à data, nenhum suspeito foi detido por cometer tal ato ilícito.

“Relembro a quem tenha o hábito de forjar documentos que o seu tempo chegou ao fim. Visitei, contudo, Maliana e outros locais e não encontrei indivíduos que estivessem detidos por falsificação de documentos ”, concluiu. (ven/kyt)

No More Posts Available.

No more pages to load.