‘Lú Olo’ quer que OGE 2021 promova crescimento económico

by -42 views

Díli– O Presidente da República, Francisco Guterres ‘Lú Olo’, pediu ao Governo que o Orçamento Geral do Estado (OGE) de 2021 estimulasse o crescimento económico do país em prol do bem-estar da população.

No seu discurso de Ano Novo, o Chefe de Estado manifestou esperança de que 2021 seja o ano do fim da pandemia do novo coronavírus, sem lugar a qualquer transmissão do vírus à comunidade.

‘Lú Olo’ apelou ainda ao Governo e a toda administração pública que fosse gerido o orçamento com transparência e responsabilidade em consonância com o programa, onde constam as medidas a serem executadas nas múltiplas áreas, desde a saúde, educação e agricultura passando pelo turismo, infraestruturas, entre outras.

 “O orçamento para 2021 tem como objetivo enriquecer a economia nacional e melhorar a vida de todo o povo. Estamos a passar por vários sobressaltos devido à covid-19. E neste novo ano, 2021, continuaremos a enfrentar o seu impacto, nomeadamente na economia. Recordo que as medidas que foram e serão tomadas pelo Governo para fazer face à pandemia constam do Fundo Covid-19 bem como do plano de recuperação económica.  Estes dois instrumentos proporcionarão à população mais vulnerável recuperar o tempo perdido, alcançando o seu bem-estar”, afirmou na quinta-feira (31/12), no âmbito do seu discurso de Ano Novo.

O Chefe de Estado considerou ainda que as medidas que o Governo pretende levar a cabo visam dar resposta às dificuldades por que passa atualmente a população e contribuir decisivamente para a recuperação da economia nacional aliado ao enriquecimento do investimento público e privado, dando maior dose de confiança aos empresários.

‘Lú Olo’ recordou ainda o ano de 2020, marcado por enormes desafios, tendo destacado, entre outros, a pandemia, a ocorrência de vários desastres naturais e o impasse político.

Segundo o Presidente da República, a crise sanitária viria a afetar a sociedade e mais concretamente a economia, o que exigiu da parte de todos coragem, determinação responsabilidade, seriedade e resiliência para ultrapassar os desafios.

“Graças ao esforço de todos, principalmente dos profissionais da linha da frente, conseguimos impedir até à data qualquer transmissão local e continuamos sem registar nenhum óbito por causa da covid-19. Temos estabilidade política e social e estamos a viver em paz”, disse.

O Chefe de Estado referiu, por outro lado, que o oitavo Governo tem sabido governar com apoio, enfatizando que a estabilidade que o país vive atualmente se deve à maturidade política da população e à sua compreensão perante os vários entraves que o país atravessa.

“Quero apresentar as minhas saudações a todos os cidadãos que demonstraram ao longo deste período resiliência, responsabilidade e tranquilidade na ajuda ao Estado para conquistar a estabilidade. Elogio o Ministério da Saúde, a defesa e a segurança, entre muitos outros, pelo seu forte contributo em prol do país”, saudou.

O Presidente da República pediu ainda a todos os cidadãos que seguissem o exemplo dos heróis, que “amassem o nosso povo e nação para que sejam também novos heróis num Timor-Leste livre e independente”.

Lú Olo recordou também que, durante a luta da libertação nacional, os combatentes utilizaram como arma de arremesso a sua capacidade e inteligência para combater o inimigo.

“Enfrentamos atualmente múltiplos obstáculos e desafios na nossa sociedade e na economia. Por isso, para fazer face a todo estes constrangimentos, temos de incrementar a produção nacional e reduzir a dependência da importação. Devemos dar incentivos aos jovens para que possam ser empreendedores”, disse.

O Presidente da República defendeu ainda uma diversificação da economia e a redução da dependência setor petrolífero. Lembrou também a necessidade de acelerar o plano de recuperação da economia e dar continuidade ao investimento em áreas-chave, como a educação, saúde e agricultura.

“O nosso país precisa da capacidade e inteligência de todos no sentido de consolidar o nosso Estado de direito e democrático além de servir o nosso povo e nação”, concluiu. (ven)