Jovens timorenses abandonam cedo a escola

by -54 views

DÍLI- Feliciano Soares, coordenador do Fórum da Juventude Marginalizada (FJM), revelou que os resultados de um estudo da Parceria de Educação da Sociedade Civil (CSEP, em inglês) realizado em colaboração com a FJM, apontam para uma percentagem significativa de jovens que abandonam cedo a escola.

A pesquisa foi levada a cabo em 2019 em 11 sucos dos municípios de Aileu, Ainaro, Baucau, Bobonaro, Liquiçá e Manatuto. Centrou-se essencialmente nos jovens marginalizados provenientes das áreas rurais com a finalidade de efetuar o levantamento dos principais desafios e constrangimentos.

“O resultado da nossa pesquisa mostra que 36% dos jovens abandonaram precocemente a escola. De acordo com as respostas obtidas, o principal motivo do abandono escolar é o fator financeiro”, disse Feliciano, esta quarta-feira (09/12), aos jornalistas no salão Esperança, em Delta, Díli.

O coordenador referiu ainda que, segundo a investigação, além do abandono escolar precoce, 46% dos jovens que concluíram o ensino secundário não ingressaram no ensino superior. O estudo aponta como principal razão o casamento precoce, em particular de jovens do sexo feminino.

“Após a pesquisa, foi percetível o número elevado de jovens que se casaram muito cedo, facto que se prende com a nossa cultura que adota, como sabemos, o sistema patriarcal”, referiu.

Ainda no que se refere ao estudo, Feliciano acrescentou que 73% dos jovens possuem um rendimento mensal abaixo dos vinte dólares americanos, quantia esta escassa para fazer face às necessidades básicas dos seus familiares. (ono)

No More Posts Available.

No more pages to load.