Já estão em Timor-Leste e em quarentena 149 timorenses repatriados

by -31 views

DÍLI- Chegaram, esta quarta-feira (05/08), ao Aeroporto Internacional Nicolau Lobato, 149 timorenses repatriados da Coreia do Sul e Indonésia, encontrando-se agora em confinamento obrigatório em unidades hoteleiras disponibilizadas pelas autoridades.

A maioria destes cidadãos trabalhava na Coreia do Sul, mas foram também repatriados doentes e os seus familiares bem como formandos da Secretaria de Estado da Formação Profissional e Emprego (SEFOPE) que se encontravam na Indonésia.

“São no total 110 as pessoas vindas da Coreia do Sul e 39 de Bali, na Indonésia, sendo que dez deles são formandos. A maioria trabalhava na Coreia do Sul. Temos de os alojar em três hotéis – Novo Horizonte, SK Hotel e Chong Ti. Já nos coordenámos com estas unidades hoteleiras”, revelou Paulo Alves, Diretor-Geral da SEFOPE.

Segundo o dirigente, a Coreia do Sul e a Austrália são países onde a covid-19 alastrou e, por isso, é obrigatória a quarentena destes cidadãos timorenses.

“Sabemos que o coronavírus está a alastrar em tudo o mundo e estas pessoas vêm de países em risco, como a Coreia do Sul e a Austrália. Passaram também pela Indonésia, uma nação com elevado perigo. Para prevenir [a doença], temos de trabalhar com o Ministério da Saúde, o Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, os Serviços de Migração, a Polícia Nacional de Timor-Leste (PNTL), a Administração de Aeroportos e Navegação Aérea de Timor-Leste (ANATL), a Alfândega e o Ministério do Turismo, Comércio e Indústria no combate ao novo coronavírus”, acrescentou.

O Governo prevê um orçamento de aproximadamente 209 mil dólares americanos para o avião fretado da Citilink, o aluguer dos hotéis e transportes e a aquisição da alimentação.

“A proposta de orçamento foi feita em duas categorias, uma para fretar o avião, que teve um custo de cerca de 149 mil dólares americanos. Já 60 mil dólares americanos se destinarão ao aluguer de quatro hotéis, transportes e aquisição de alimentação. Estas pessoas que estão em quarentena obrigatória durante 14 dias deverão fazer um teste, antes de regressarem para as suas casas. Se tiverem um resultado positivo, serão obrigados a ficar mais dias”, disse.

O responsável recordou que a SEFOPE fez uma primeira proposta para repatriar apenas os trabalhadores da Coreia do Sul, mas, devido ao elevado número de passageiros, trabalhou depois em parceria com o MNEC, tendo contactado todos os estudantes timorenses no Estados Unidos da América e pacientes na Indonésia para que pudessem regressar neste voo fretado.

Foram também repatriados oito trabalhadores da Austrália, na companhia aérea Air North, encontrando-se em confinamento obrigatório no Hotel Luz Clarita. (isa)

No More Posts Available.

No more pages to load.