Governo recebe 10.747 reclamações relativas ao subsídio dos agregados familiares

by -52 views

Díli- O Ministério da Solidariedade Social e Inclusão (MSSI) registou 10.747 reclamações relativas à atribuição do subsídio de 200 dólares americanos destinado a cada agregado familiar timorense.

A Vice-Primeira-Ministra e Ministra da Solidariedade Social e Inclusão (MSSI), Armanda Berta dos Santos, prestou estas declarações na sequência da sua apresentação ao Primeiro-Ministro, Taur Matan Ruak, sobre os progressos do pagamento do subsídio.

Segundo Armanda Berta, já  foi concluído o pagamento em 11 municípios, faltando apenas Díli, cujo atraso aconteceu nos sucos do Bairro Pité, Bebonuk e Comoro.

“O pagamento realizou-se de 9 a 22 de junho, com 10.747 reclamações nos 12 municípios. Nos sucos de Díli, provavelmente, será finalizado em dois dias”, afirmou Armanda Berta, esta terça-feira (23/06), depois do seu encontro com Taur Matan Ruak, no Palácio do Governo.

Armanda referiu ainda que o MSSI vai rever as reclamações para definir se estas preenchem os requisitos, pois alguns pagamentos poderão ter sido feitos em diferentes locais.

A governante lembrou ainda que foram criadas várias equipas durante o pagamento em todo território, com um total de 452 elementos.

Cerca de dois mil beneficiários do Bairro Pité e de quatro mil de Comoro não receberam ainda subsídios

Cerca de dois mil beneficiários do suco do Bairro Pité e de quatro mil de Comoro, no Município de Díli, não receberam ainda subsídio atribuído pelo Governo em resposta à covid-19.

O processo de pagamento do apoio monetário a agregados familiares do Bairro Pité é atualmente diferente do anterior devido ao aumento do número de elementos da equipa. Encontram-se, neste momento, 13 membros, sendo que 11 registam os dados dos beneficiários e os restantes contam e entregam o dinheiro.

O Chefe do Suco do Bairro Pité, João Batista Belo, disse na terça-feira (23/06) ao Timor Post que, das 26 aldeias, 17 já tinham recebido o subsídio.

“A meu ver, restam mais de mil beneficiários. A equipa pode concluir o pagamento de duas ou três aldeias por ter recebido este reforço de elementos”, afirmou, garantindo que o pagamento terminará esta semana.

João Belo referiu, de igual modo, que amanhã será a vez de outra aldeia com 400 beneficiários e, de seguida, de outras que possuem apenas 100 ou 200 agregados familiares. Sublinhou igualmente que informou o MSSI de que o pagamento será concluído durante esta semana.

Também o Coordenador da Monitorização do Subsídio Familiar do Município de Díli, Luís da Costa, garantiu que o pagamento do apoio monetário nos sucos do Bairro Pité e Comoro será concluído no domingo (28/06).

“Apesar de o MSSI ter definido o dia 23 de junho como o fim do pagamento do subsídio, na realidade, o Município de Díli está a enfrentar problemas. Envidaremos, contudo, todos os esforços para que o pagamento nos sucos do Bairro Pité e Comoro possa ser finalizado esta semana”, afirmou ao Timor Post, na terça-feira (23/06), em Bebora.

Segundo o responsável, o Município de Díli dispõe de 30 sucos e 90% dos beneficiários que residem na capital já receberam este apoio social.

Luís da Costa sublinhou também que, dos 9.609 agregados familiares de Comoro, faltam apenas 3.767 beneficiários, sendo que 1.007 são da aldeia de 4 de Setembro, 576 de Golgota e 2.184 de 12 de Outubro. O total das verbas alocadas é de 753.400 dólares.

Quanto ao suco do Bairro Pité, restam apenas 1.717 agregados familiares de nove aldeias – Wedalak, Fatu-Meta, Xamatana, Laloran, Terus Nanis, Haburas, Bitaba, Sao José e Andevil. O valor total do pagamento é de 343.400 dólares.

O coordenador acrescentou que o MSSI responderá a todas as reclamações para que os beneficiários possam receber o subsídio.

Pagamento do subsídio em Oé-Cusse realizar-se-á em julho

A Ministra da Solidariedade Social e Inclusão (MSSI), Armanda Berta dos Santos, garantiu, por sua vez, que o pagamento do apoio monetário destinado aos agregados familiares da Região Administrativo Especial de Oé-Cusse Ambeno (RAEOA) será realizado no início de julho.

Armanda Berta referiu, por isso, que estão a ser efetuadas várias ações de divulgação de informação sobre o subsídio de 200 dólares junto dos beneficiários da zona.

“Em Oé-Cusse, [o pagamento do subsídio] realizar-se-á a partir do dia 1 de julho”, assegurou a ministra, nesta terça-feira (23/06), no Palácio do Governo.

Recorde-se que o Presidente da RAEOA, Arsénio Bano, e a MSSI se encontraram, no passado dia 15 de junho, para abordar a questão do subsídio para as famílias do enclave de modo a que possa ser acelerada a sua atribuição.

“Estou muito satisfeito por me poder encontrar com a Vice-Primeira-Ministra e MSSI. Solicitei-lhe que enviasse antecipadamente uma equipa para Oé-Cusse para preparar todos os procedimentos necessários de modo a que o pagamento seja acelerado”, disse Arsénio Bano, a 15 de junho, em declarações aos jornalistas, em Caicoli, Díli.

Bano pediu ainda que a equipa enviada para Oé-Cusse tivesse elementos suficientes para proceder a uma atribuição simultânea em todas as zonas da região, o que “permitirá ainda se focar, posteriormente, apenas em eventuais reclamações”.

Segundo o dirigente, beneficiarão do apoio monetário, na RAEOA, 23 mil agregados familiares, o que custará ao Estado mais de 4 milhões de dólares. (kyt/ono/yto)

No More Posts Available.

No more pages to load.