Governo identifica local para construção de cemitério para eventuais vítimas da covid-19

by -22 views

Díli- Rui Maria de Araújo, o porta-voz do Centro Integrado de Gestão de Crise da covid-19, revelou que o Governo já procedeu à identificação do local onde será construído um cemitério em Metinaro para enterrar eventuais vítimas do novo coronavírus.

“Temos de nos preparar para o pior cenário. Ficamos, no entanto, satisfeitos, por saber que o país continua sem registar nenhum caso mortal provocado pela covid-19”, afirmou este sábado (11/04), em conferência de imprensa, no Centro de Convenções de Díli.

Segundo o responsável, foi fácil chegar a um consenso quanto ao local eleito para ser construído de raiz um cemitério que servirá para enterrar todos os mortos causados pela covid-19.

“Temos pessoas que representam um grande risco, como os idosos acima dos 60 anos de idade. Por isso, temos de nos precaver para um eventual cenário de surto do vírus”, disse.

O coordenador recordou ainda a decisão do Primeiro Ministro durante a reunião do Conselho de Ministros ao sugerir que o Governo avançasse com a construção de um cemitério localizado em Metinaro como medida de antecipação a uma possível propagação do covid-19, ainda que o país não tenha registado até ao momento nenhum caso mortal.

O coordenador recordou também o facto de o cidadão estrangeiro infetado pela covid-19 ter recuperado totalmente e regressado à sua residência.

“Quero lembrar à população que a primeira pessoa com covid-19 já recebeu alta. Foi tratado no Centro de Vera Cruz, tendo sido sujeito a dois testes. Ambos deram negativo. Foi, por isso, mandado para casa. Não necessita de mais tratamento hospitalar”, afirmou um porta-voz do Centro de Gestão de Crise da covid-19, Sérgio Lobo, na passada sexta-feira (10/04), em declarações aos jornalistas, em conferência de imprensa, no CCD.

Sérgio Lobo garantiu, no entanto, que o paciente agora recuperado se manterá em confinamento na sua residência, durante 14 dias.

“Foram dados instruções precisas ao cidadão para que se mantenha em autoquarentena, cumprindo as normas de distanciamento social”, afirmou.

O responsável reconheceu ter existido alguma descoordenação entre as autoridades de segurança e o pessoal de saúde do Centro Integrado de Gestão de Crise da covid-19 no local, após a retirada dos cidadãos do centro de isolamento. (jry/res)