Governo deve apoiar rapidamente escolas afetadas por desastres naturais

by -33 views

Díli- O coordenador da Organização Não Governamental (ONG) Coligação para a Educação de Timor-Leste (TLCE, em inglês), José Monteiro, pediu ao Ministério da Educação, Juventude e Desporto (MEJD) que desse apoio rápido às escolas afetadas por desastres naturais.

“As escolas em causa necessitam de respostas rápidas neste mês, visto que estamos no processo de preparação para retomar as atividades letivas”, disse o coordenador, esta quarta-feira (03/06), aos jornalistas do Timor Post, no seu local de trabalho, em Díli.

José Monteiro sustenta ainda que, para se solucionar estes problemas de forma rápida, deve haver cooperação entre os estabelecimentos de ensino afetados e o Governo, sugerindo, de igual modo, a criação de uma equipa para levantamento e classificação de dados dos estragos.

“Nem todas as escolas afetadas estão na categoria de reparação urgente. Seria necessária, como tal, uma equipa que pudesse classificar quais as prioritárias”, defendeu José Monteiro.

Segundo o coordenador, o MEJD deve cooperar, também com a Secretaria de Estado da Proteção Civil e o Ministério da Administração Estatal.

“A meu ver, a fraqueza do MEJD é a coordenação. Um exemplo simples é que há população que reside nos recintos das escolas e este ministério nunca se coordenou com o MAE para efetuar despejos. Em relação aos estragos causados pelas cheias, o MEJD podia coordenar-se com a SEPC para assistência”, referiu.

MEJD verifica sete escolas com danos, após chuvas intensas do passado mês

O Diretor Nacional da Ação Social Escolar (DNASE) do Ministério da Educação, Juventude e Desporto, Joaquim Martins, revelou, por sua vez, que sete escolas foram afetadas pelas fortes chuvas ocorridas, no passado mês, no leste e sul do país, sobretudo em Baucau e Lautém.

“Como é sabido, ocorreu, entre os dias 21 e 24 do mês passado, chuva intensa, nos municípios de Baucau, Viqueque, e Lospalos, provocando vários estragos infraestruturais, incluindo em estabelecimentos de ensino em Baucau e Lospalos”, disse o diretor, nesta terça-feira (03/06), no seu local de trabalho.

Joaquim Martins afirmou ainda que, após a ocorrência do mau tempo, a DNASE recebeu de imediato relatórios dos diretores da Educação dos municípios afetados, confirmando que, em Lautém, se verificaram danos na Escola Básica Filial (EBF) de Ailafa, e, em Baucau, em seis –  a Escola Básica Central (EBC) de Oso-Una, EBF de Haudere, EBC do Centro de Baguia,  em Baguia, e as EBF de Wadaboru e de Afasa Antiga, em Quelicai, enquanto nos municípios de Covalima, Manatuto, Manufahi e Viqueque não se registaram estragos.

“Deslocámo-nos, depois, à EBF de Ailafa. Entregámos-lhe um apoio urgente com vários materiais, entre eles zinco, pregos e madeira. Vamos, depois, efetuar um levantamento dos dados nas escolas de Baucau, antes de ser entregue a ajuda”, garantiu.

Segundo o responsável, caberá aos dirigentes destes estabelecimentos de ensino concretizar as obras de intervenção, através de cooperação com a comunidade do local.

De acordo com os dados do Timor Post, a EBF de Ailafa registou danos graves no teto das três salas de aula.

O diretor referiu ainda que as escolas do município de Covalima se encontram em boas condições, apesar de terem sido invadidas pelas inundações. (ono)