Governo aprova suplemento remuneratório de profissionais que combatem covid-19

by -25 views

Díli-  O Conselho de Ministros aprovou, em reunião extraordinária, o valor do suplemento remuneratório, que oscila entre os cinco e os 25 dólares, para os profissionais que trabalham na prevenção da covid-19.

A Ministra das Finanças interina, Sara Lobo Brites, afirmou que a resolução produz efeitos a 28 de março deste ano. O pagamento será efetuado mensalmente até que chegue ao término o período de confinamento.

“Fixamos o valor de 25 dólares por dia para cada profissional que trabalha diretamente nos centros de isolamento e no laboratório e que lidam diariamente com pacientes infetados com a covid-19”, afirmou Sara Lobo, aos jornalistas, após o encontro, em Aitarak-Laran, Díli.

Sara Lobo explicou ainda que o total de remuneração a ser atribuído estará de acordo com o grau de risco a que os profissionais estejam expostos.

“Alocamos, diariamente, 20 dólares para o pessoal dos serviços de quarentena e 15 dólares para o da administração, soldados das Forças de Defesa de Timor-Leste (FALINTIL) e Polícia Nacional de Timor-Leste (PNTL). Quanto aos funcionários dos serviços de imigração, motoristas, trabalhadores das alfândegas, das fronteiras terrestres, portos, aeroportos, de águas e saneamento, eletricidade, segurança e proteção civil assim como os trabalhadores da recolha de lixo receberão cinco dólares”, explicou.

A governante referiu ainda que o pagamento será efetuado assim que for apresentada a lista de presenças dos funcionários de cada ministério relevante, sublinhando ainda que cada profissional terá acesso a um certificado do Centro Integrado de Gestão de Crise (CIGC).

A ministra em exercício recordou também que o Primeiro-Ministro, Taur Matan Ruak, pediu aos membros relevantes do Governo que tratassem dos certificados do CIGC destinados aos seus funcionários que estão na linha da frente na prevenção da covid-19.

Sara garantiu ainda que para evitar criar alguma injustiça para as pessoas que estejam indiretamente envolvidas no combate à doença, estas receberão também o mesmo suplemento como os demais profissionais, por estarem afastadas temporariamente dos seus familiares.

Segundo a governante, o subsídio remuneratório tem um montante fixo com base na categoria relativa à carreira profissional de cada funcionário apresentada por estes ministérios.

A ministra acrescentou que os profissionais em causa recebem, além do seu salário mensal, uma remuneração por parte do Governo como reconhecimento pelo seu profissionalismo. (kyt)