GMPTL vai a velório de mulher de Batugadé alegadamente morta pelo marido

by -92 views

DÍLI- O Grupo das Mulheres Parlamentares de Timor-Leste (GMPTL) deslocou-se, esta quinta-feira (04/03), ao Hospital Nacional Guido Valadares (HNGV) para o velório de uma mulher vítima de um crime de homicídio perpetrado, esta quarta-feira (03/03), no bairro de Budin, no suco de Batugadé, em Bobonaro.

Merita Florência Funan, de 38 anos, deixa três filhos – uma rapariga e dois rapazes.

Segundo o que apurou o Timor Post, a vítima terá sido morta pelo seu próprio marido, por volta das 08 horas de quarta-feira, em Batugadé.

“Hoje, em Timor-Leste, recebemos uma notícia que nos entristece a todos. Ocorreu, ontem, em Balibó, Maliana, um caso violento de homicídio. O autor deste crime hediondo terá sido o seu próprio marido”, afirmou a Presidente do GMPTL, Lídia Norberta, no HNGV.

Segundo a deputada, a informação foi veiculada por um elemento afeto ao GMPTL.

“Queremos ver com os nossos próprios olhos a vítima que morreu às mãos do seu marido. Hoje, falámos também com a sua família e vamos continuar a apoiá-la. Conseguimos apurar que este senhor é também autor de incesto. Abusou sexualmente da sua própria filha, no passado mês de dezembro. Apesar de, na altura, lhe ter sido aplicado o Termo de Identidade e Residência, ontem acabou por cometer este homicídio. Recordo que, antes deste ato, já tinha havido várias tentativas de violar a sua filha”, disse.

Segundo a deputada, é um ato reprovável e inaceitável aquilo que se sucedeu a Merita Funan.

“Repudiamos veementemente qualquer caso relacionado com incesto. Devemos, por isso, dizer basta. Não podemos tolerar mais este tipo de violência”, acrescentou.

Lídia Norberta pediu, entretanto, às autoridades competentes, nomeadamente à justiça, que agilizassem este processo-crime, não deixando passar incólume os verdadeiros culpados.

Também a deputada Domingas dos Santos se mostrou incomodada  com este crime e disse estar inconformada com o facto de a justiça timorense ter, na altura, decretado apenas o TIR ao principal e único suspeito de abusos sexuais à sua filha.

“Lamento muito este desfecho. Recebi, ontem, informações da mãe da vítima, segundo as quais o homem a ameaçou por diversas vezes que a mataria, caso apresentasse queixa à polícia”, referiu.

 Já Ana Isabela Hermínia, irmã da vítima, relatou que, no passado dia 05 de dezembro do ano passado, a sua irmã tinha surpreendido o próprio marido em pleno ato sexual com a sua filha. Este caso, segundo Ana Hermínia, fez com que a sua irmã ficasse traumatizada, incapaz de apresentar queixa às autoridades policiais.

Ana Isabela Hermínia afirmou ainda que o marido a ameaçou, em várias ocasiões, de matar os irmãos, caso apresentasse queixa à Polícia Nacional de Timor-Leste (PNTL).

“No dia 22 de [dezembro], a minha irmã acabou por apresentar queixa à polícia. A minha sobrinha foi levada para uma casa de abrigo. Perguntei, então, à minha irmã se este caso era ou não verdadeiro? Respondeu-me que sim, pois tinha testemunhado o seu marido a abusar sexualmente dela”, disse.

A familiar da mulher contou também que, na sequência deste acontecimento, a vítima lhe pediu que se separassem. Apesar desta separação, o agressor teimava em ameaçar de morte Merita.

“O suspeito tentou sempre agredir a vítima ao ponto de a matar. Queremos justiça, porque a minha irmã perdeu a vida”, acrescentou. (isa)

No More Posts Available.

No more pages to load.