Ermera, Bobonaro e Oé-Cusse com os níveis mais elevados de má nutrição no país

by -14 views

DÍLI- A má nutrição mantém-se elevada em Ermera, Bobonaro e Oé-Cusse, segundo dados preliminares da Pesquisa sobre Nutrição de 2020 divulgados esta terça-feira (16/02) pelo Departamento de Nutrição do Ministério da Saúde.

A prevalência de nanismo em crianças até aos cinco anos é no município de Ermera de 60,4%, enquanto em Ainaro de 60% e em Oé-Cusse de 57%.

Já no que toca ao baixo peso, atinge em Oé-Cusse 43,2%, em Ermera 40% e em Bobonaro 39,4%.

Relativamente à debilidade infantil, os valores mais altos são os de Oé-Cusse, com 13,0%, e Bobonaro, com 11,8%.

A nível nacional, o nanismo e o peso abaixo do normal afetam mais crianças do sexo masculino do que do feminino, sendo que estes valores atingem nos meninos os 52% e os 34,2%, respetivamente.

Nas zonas rurais, os valores de má nutrição são mais preocupantes do que nas áreas urbanas.

A Diretora-Geral do Ministério da Saúde, Odete Viegas, recordou que este ministério trabalha em parceria, entre outros, com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF, em inglês) e o Programa Alimentar Mundial para a realização deste estudo.

“Já efetuámos duas vezes a pesquisa sobre nutrição, em 2013 e 2020. De acordo com os resultados, há mudanças [positivas] significativas nos resultados da pesquisa entre 2013 e 2020 no que toca ao nanismo, baixo peso e debilidade infantil”, afirmou.

Segundo a responsável, é preciso melhorar os serviços ligados à nutrição no país, sobretudo nos municípios com valores mais elevados de desnutrição.

“Ermera, Ainaro e Oé-Cusse continuam a mostrar valores elevados de desnutrição. A educação e atitudes das mães, pais e famílias são determinantes. A educação é um fator para que a família possa dar boas condições aos filhos”, alertou.

Também o Diretor dos Serviços de Saúde de Ermera, António de Deus Fátima, afirmou que o ministério está empenhado na redução da má nutrição neste município.

“Continuamos empenhados em reduzir os índices de má nutrição. Contudo, Ermera é o município mais populoso, o que contribui para a desnutrição”, afirmou

Segundo o dirigente, as mães e grávidas nas áreas rurais ainda desconhecem como preparar alimentos nutritivos para os seus filhos.  (isa)