Dom Virgílio pede a cristãos que mantenham prevenção da covid-19

by -5 views

Díli – O Arcebispo de Díli, Dom Virgílio do Carmo da Silva, pede aos cristãos que se empenhem para manter o cumprimento das medidas de prevenção da covid-19 impostas pelo Ministério da Saúde (MS) e Organização Mundial de Saúde (OMS), uma vez que se verificam diariamente novos casos em Atambua, na Indonésia.

“Peço a todos que se esforcem para compreender esta situação [da crise sanitária]. O nosso vizinho indonésio tem registado muitos casos ativos. Vamos retomar algumas atividades religiosas, mas apelo outra vez a todos que se esforcem para manter e cumprir com todas as regras impostas pelo MS e OMS”, solicitou.

O arcebispo apela ainda aos fiéis residentes nas zonas fronteiriças que “fiquem tranquilos” e mostrem resiliência ao longo do período pandémico da covid-19.

“Se não tivermos algo de importante para fazer, será melhor termos um pouco de paciência, porque o vírus está cada vez mais presente na Indonésia. A vacina dá-nos esperança. Vamos tê-la nos próximos dois ou três meses e, a partir daí, já poderemos voltar à nossa vida”, afirmou.

O líder católico insistiu na importância de que todos os cidadãos “tenham paciência para que possam ultrapassar esta situação difícil” originada pelo novo coronavírus.

“Sacrificamo-nos desde março do ano passado. Então temos de aguentar mais um bocado para que nos possamos libertar desta crise. Caso contrário, se abusarmos da situação e não quisermos cooperar com os líderes para cumprir todas as regras existentes, a crise vai alastrar. Devemos, então, sacrificar-nos, algo que temos feito desde março do ano passado. Assim, o nosso povo e país continuam livres da covid-19”, disse.

A contenção da covid-19, segundo o bispo, não cabe apenas aos líderes do Estado e da Igreja, mas sim a todos os cidadãos, desde as crianças aos adultos, sobretudo aos que se residem nas zonas fronteiriças.

“Todos nós temos necessidades importantes, mas, nesta situação difícil, se não precisarmos de algo com urgência, devemos deixá-lo para trás. Temos de aprender a deixar para trás coisas que não sejam necessárias, contribuindo assim para o bem do povo e de Timor-Leste”, referiu.

O dirigente sublinhou ainda que a Igreja Católica está empenhada em cooperar com o Governo para a prevenção da covid-19, recordando, como tal, que, após ter recebido uma carta do Primeiro-Ministro a solicitar o reforço da contenção do vírus no país, a Igreja decidiu suspender todas as celebrações eucarísticas da passagem do ano.

“Enquanto católicos, não podemos fazer coisas só porque outros fazem. A Igreja tem os seus princípios e dignidade. Se quisermos o bem do povo, temos de nos esforçar para dar exemplos a outros. O Governo anunciou que os cristãos podem já ir à missa. A Igreja quer, então, declarar que já podem ser realizadas as missas aos domingos e as regras sanitárias devem manter-se, mas outras atividades religiosas continuam suspensas”, anunciou.

Dom Virgílio avançou, no entanto, que a interrupção das celebrações eucarísticas em Maliana se mantém, já que esta zona fica perto de Atambua, na Indonésia, onde o número de casos ativos é cada vez maior.

“Temos de analisar primeiro a situação. O Bispo de Diocese de Maliana decidiu manter o fecho das atividades religiosas neste local, por exemplo. Em Díli, vamos reabrir, mas não dentro da normalidade. Havia antes aos domingos três missas, mas agora temos de fazer só uma e todas as regras sanitárias devem ser cumpridas. As atividades, como casamentos e batismos, continuam pendentes. Vamos aguardar até duas ou mais semanas, para vermos a situação”, concluiu. (Mj2)