Coreia do Sul, OMS e OIM juntos no combate à tuberculose em Timor-Leste

by -39 views

DÍLI- O Governo da Coreia do Sul, a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Organização

Mundial para as Migrações (OIM) apoiam o Ministério da Saúde no combate à tuberculose em Timor-Leste.

O Embaixador da Coreia do Sul em Timor-Leste, Kim Joeng-Ho, afirmou que o Executivo sul-coreano mantém o seu contributo para a luta contra a tuberculose no país.

“O Governo da Coreia do Sul tem contribuído para a luta contra a tuberculose desde 2016, em cooperação com o Ministério da Saúde e através do Projeto de Capacitação, Diagnóstico e Gestão da Tuberculose, que está neste momento a decorrer”, recordou esta segunda-feira (08/02) o governante sul-coreano, no novo lançamento deste projeto, no Hotel Novo Turismo, em Díli.

O diplomata lembrou igualmente o apoio sul-coreano na criação do Laboratório Nacional de Tuberculose do Hospital Nacional Guido Valadares (HNGV), nas formações sobre tuberculose ministradas por profissionais de saúde sul-coreanos, na melhoria dos tratamentos e da gestão por parte do pessoal de saúde timorense.

“Em 2019, concentrámo-nos em duas áreas. Primeiro, trabalhámos juntamente com os profissionais da Associação Nacional de Tuberculose da Coreia do Sul e, segundo, criámos uma gestão sistemática [dos casos de tuberculose] a nível municipal e centros saúde de todos os municípios”, disse.

O diplomata acrescentou também que será disponibilizado, através da OIM, um rastreio móvel da doença e melhorada a capacidade do pessoal de saúde e dos médicos.

Também o Representante da OMS em Timor-Leste, Arvind Mathur, recordou que todos os anos surgem mais de 10 milhões de novos casos de tuberculose.

“Apesar de a tuberculose poder ser prevenida e curada, morrem anualmente mais de 1,5 milhões de pessoas com esta doença infeciosa no mundo”, acrescentou.

O representante da OMS recordou ainda que a incidência de tuberculose em Timor-Leste é das mais elevadas no sudeste asiático, o que afeta igualmente a produtividade do país.

“Esta doença faz com que o crescimento económico seja muito lento e as famílias caiam para níveis abaixo da linha da pobreza. Registam-se 498 novos casos por cada 100 mil habitantes. Em Timor-Leste, os médicos reportam 6.400 novos casos por ano. No final de 2019, estimava-se uma taxa em Timor-Leste de cerca de 88 mortos por 100 mil habitantes. Esta situação é muito triste, porque coloca o país no segundo lugar a nível de mortalidade no mundo”, acrescentou.

O responsável da OMS destacou também que a pobreza, a má nutrição, o tabagismo e o álcool são fatores que contribuem para uma elevada incidência de tuberculose no país.

Também a representante da OIM em Timor-Leste, Cecilia Mcintosh, referiu a importância deste projeto para a prevenção da tuberculose no país e melhoria do acesso ao diagnóstico em Bobonaro, Covalima, Ermera, Díli e Baucau.

Segundo a representante, o projeto pretende apoiar diretamente a população, efetuando um rastreio da doença através de tecnologia moderna.

“Introduzimos um raio-X móvel que está a ser utilizado em Timor, nomeadamente em Bobonaro, Ermera e Baucau”, afirmou. (isa)

No More Posts Available.

No more pages to load.