CNE inicia campanha de formação cívica para promover participação eleitoral

by -42 views

DÍLI- A Comissão Nacional de Eleições (CNE) iniciou, esta quinta-feira (23/07), a campanha de formação cívica deste ano, que visa promover a participação eleitoral.

A primeira ação de formação, subordinada ao tema “Através da educação cívica, reforçamos o sentido de pertença aos atos eleitorais”, teve lugar na Escola Técnica de Informática (ETI), em Díli, mas outras serão realizadas no território.

Recordando que a CNE é um órgão independente que pretende supervisionar os atos eleitorais, o Diretor-Geral da comissão, Adão Soares, afirmou que estas ações de formação cívica se estenderão a todo o território para se combater a abstenção eleitoral.

 “A CNE assume o seu próprio papel na divulgação dos direitos de todos os cidadãos e, por isso, organiza anualmente atividades de educação cívica. Realizaremos, este ano, a atividade, como previsto, nos 12 municípios, incluindo na RAEOA [Região Administrativa Especial de Oé-Cusse Ambeno]”, disse, em Manleuana, Díli, acrescentando que cada ação de formação deverá ter, no mínimo, cem pessoas.

Adão Soares destacou ainda a importância do voto e de se lutar contra a abstenção eleitoral.

“O sistema de recenseamento eleitoral é obrigatório, mas a votação não é, o que constitui um problema. Todos os cidadãos devem exercer o seu direito de voto a cada cinco anos. Se não o fizerem, não podem questionar o desenvolvimento”, disse.

O responsável mostrou-se, contudo, otimista em relação à taxa de participação nas próximas eleições.

“Garantimos, através dos meios que temos ao dispor, que atingiremos uma participação máxima nas próximas eleições”, sublinhou.

Também o Diretor da ETI, Dionísio Ximenes, sublinhou a necessidade desta iniciativa para os alunos da escola.

“Esperamos que os conteúdos aqui abordados possam ser divulgados junto dos seus colegas, família e comunidade. Estas questões dos atos eleitorais e registo de documentos por parte da CNE são muito importantes para os jovens”, afirmou.

Zélia Alves, aluna da ETI, considerou igualmente importante a disponibilização de formação cívica sobre as eleições.

“Pudemos, através desta formação, aprender mais sobre os atos eleitorais. Esperamos partilhar as informações sobre as eleições com os nossos colegas. Hoje, conseguimos compreender o processo eleitoral”, disse. (isa)