CICG alerta para “má interpretação” dos que questionam atuação de profissionais de saúde

by -24 views

DÍLI- Sérgio Lobo, Porta-voz do Centro Integrado de Gestão de Crise (CIGC), afirmou, este sábado (18/04), que as pessoas em quarentena que questionam a atuação dos profissionais de saúde estão a interpretar mal a informação.

As declarações surgem depois de terem sido amplamente divulgadas publicações no WhatsApp que põem em causa os testes realizados e a confirmação de infeções entre pessoas assintomáticas, sugerindo que se trata de uma “vingança dos profissionais de saúde”.

“Quero dar esclarecimentos sobre duas gravações, agora muito virais, duas gravações de áudio no WhatsApp. Na primeira, a autora sugere que os seus colegas não estão infetados com a covid-19, pois não apresentam sintomas, têm uma temperatura normal e não fizeram testes, não sabendo, por isso, por que razão os profissionais de saúde dizem que são casos positivos”, afirmou.

O porta-voz recordou que foram aplicados a estes doentes testes rápidos, que implicam apenas a colheita de saliva e do nariz.

“Estes testes não foram feitos através do sangue, mas da colheita de saliva e do nariz. Quero clarificar, mais uma vez, que não há qualquer vingança por parte dos profissionais de saúde que realizaram os testes no Hotel Katuas. Foram efetuados de acordo com decisão do Ministério da Saúde”, explicou.

Segundo Sérgio Lobo, estas publicações devem-se a má interpretação da informação.

“Quero clarificar que estão a fazer más interpretações dos factos. Não fizemos apenas os testes a casos suspeitos, mas também às pessoas no Hotel Katuas, quando surgiu o primeiro caso”, lembrou.

O porta-voz explicou ainda que a esmagadora maioria dos ocupantes, profissionais de saúde e funcionários do Hotel Katuas fez o teste à covid-19.

“Em outra gravação, a autora questiona o facto de aqueles que estão em isolamento dormirem num mesmo quarto e de os profissionais de saúde não fazerem tratamento ou darem qualquer medicamento”, disse.

O responsável sublinhou, mais uma vez, que as pessoas em isolamento estão realmente infetadas com o coronavírus, embora não apresentem sintomas.

Recorde-se que os sintomas mais comuns da covid-19 incluem tosse seca persistente, febre e falta de ar. No entanto, segundo um estudo recente do British Medical Journal, 78% dos infetados não manifesta qualquer sintoma. Estes doentes assintomáticos têm, contudo, de ficar em isolamento obrigatório por poderem infetar outras pessoas. (isa)