Bolseiros timorenses que estudavam em Wuhan regressam a Timor-Leste

by -24 views

DÍLI- Os 17 universitários timorenses que estudavam em Wuhan, na China, chegaram, esta sexta-feira (21/02), a Timor-Leste, após uma quarentena de 14 dias, na Nova Zelândia.

O Secretário-Geral do Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação (MNEC), Jorge Camões, mostrou-se satisfeito com o apoio da Nova Zelândia e o seu esforço para receber e tratar os universitários timorenses durante as duas semanas.

“Graças a Deus, conseguimos transportar os bolseiros que estudaram na China para a Nova Zelândia e, finalmente, chegaram a Timor”, disse.

O Secretário-Geral lembrou que estes estudantes foram transportados para a Nova Zelândia, no dia 05 de fevereiro, para ficarem numa quarentena de 14 dias.

“Durante duas semanas, estes universitários foram recebidos pelo Estado da Nova Zelândia. Receberam bons tratamentos e acompanhamento diário dos médicos e, finalmente, certificaram-se que estavam livres do coronavírus”, afirmou.

Jorge Camões mostrou-se ainda satisfeito com o Governo da China por aceitar o pedido do Estado timorense para transportar estes universitários para a Nova Zelândia.

“Sabemos que foi um processo difícil, mas o Governo chinês manteve a atenção dada a estes alunos. Sentimos que era melhor levá-los para lá. O Estado da China compreendeu a nossa preocupação e aceitou transportá-los”, recordou.

O secretário-geral elogiou também o esforço do Estado da Nova Zelândia ao aceitar o pedido do Governo timorense e oferecer o seu próprio avião para transportar estes universitários de Wuhan para o seu país.

“O nosso Ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação encontrou-se com o seu homólogo para agradecer o apoio deste país, porque foi um momento difícil”, sublinhou.

Jorge Camões elogiou também o trabalho da direção-geral dos assuntos bilaterais, porque, com os seus esforços e de acordo com as orientações do Ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Dionísio Babo Soares, conseguiram aproximar-se de todas as partes e permitir este transporte.

O responsável felicitou ainda as famílias dos universitários por confiarem no Governo e, como tal, pediu às famílias e sobretudo aos órgãos de comunicação social que informassem o público sobre o estado de saúde destes jovens.

Também a Diretora-Geral da Prestação dos Serviços do Ministério da Saúde, Odete Viegas, mostrou igualmente satisfação com o apoio do Executivo da Nova Zelândia aos universitários timorenses.

“Queria agradecer ao Governo da Nova Zelândia, em nome da Ministério da Saúde. Represento também a Ministra em exercício e o seu vice-ministro e queremos agradecer ao embaixador neozelandês que deu assistência máxima à deslocação dos nossos 17 estudantes de Wuhan, na China, para este país”, afirmou.

A Diretora-Geral recordou também ao público que estes universitários estão livres do coronavírus, tendo já obtido certificados médicos, antes de se deslocarem para Timor-Leste.

Segundo a diretora-geral, os profissionais de saúde neozelandeses efetuaram um controlo diário durante 14 dias.

Odete Viegas pediu também ao público que não fique em pânico com a chegada destes estudantes, pois não estão infetados com o coronavírus, acrescentando que a população deve confiar no Governo e no Estado da Nova Zelândia.

De acordo com a responsável, se houver, contudo, alguma suspeita de doença destes universitários, o ministério manterá o apoio durante 24 horas.

O Embaixador da Nova Zelândia em Timor-Leste, Philip Weitts, mostrou-se igualmente satisfeito com a chegada dos estudantes.

“Isto é um privilégio para estes estudantes. O Governo da Nova Zelândia fica satisfeito com o seu apoio a estes alunos, da China à Nova Zelândia até Timor. Isto significa que são amigos”, disse.

O diplomata manifestou também confiança na parceria entre o Governo timorense e o neozelandês.

Nicodemo da Cruz, um representante dos estudantes, agradeceu, por sua vez, a cooperação do Executivo timorense, neozelandês e chinês e os seus esforços para que pudessem regressar ao seu país.

“Hoje, estamos contentes por estarmos cá em Timor e nos encontrarmos com as nossas famílias. Quero informar o público de que já passámos a quarentena de 14 dias e estamos em boas condições. Peço à comunidade para nos receber e, assim, podermos realizar as nossas atividades normais”, insistiu. (isa)