Atividades letivas da EBF 1.º e 2.º ciclos de Fatuhada suspensas devido a inundações

by -46 views

DÍLI – A Escola Básica Filial (EBF) 1.º e 2.º ciclos de Fatuhada, no Posto Administrativo Dom Aleixo, decidiu suspender provisoriamente as atividades letivas devido à forte chuva que caiu, na passada sexta-feira (26/02), em Díli, e que veio a causar inundações.

Segundo a observação do jornalista do Timor Post no local, esta segunda-feira (01/03), por volta das 11h30, o portão principal da escola encontrava-se fechado e sem a presença de estudantes e de professores dentro do recinto escolar.

Um elemento da segurança deste estabelecimento de ensino informou o jornalista de que uma equipa do Ministério da Educação, Juventude e Desporto (MEJD) efetuou uma visita à escola para observar  in loco os danos causados pelas inundações.

“Os estudantes vieram aqui de manhã. Chegou cá também uma equipa do MEJD que deu indicações aos alunos para regressarem às suas casas”, disse o segurança, sugerindo ao jornalista que telefonasse ao coordenador escolar para obter informações mais detalhadas.

Já o Coordenador da EBF do 1.º e 2.º ciclos de Fatuhada disse que a equipa afeta ao MEJD decidiu suspender as atividades letivas após ter constatado que não estavam reunidas as condições mínimas para prosseguir com as aulas.

“Uma equipa da educação nacional observou já as condições atuais da escola e, em face dos prejuízos provocados pela chuva que caiu desde sexta-feira, decidiu mandar os alunos para casa. O processo de aprendizagem está parado por não estarem reunidas as condições e também por termos receio de contágio com a covid-19”, afirmou o Coordenador da EBF de Fatuhada, Zacarias da Conceição Maia, ao diário Timor Post, esta segunda-feira (01/03), via telefone.

O dirigente sublinhou também que as atividades letivas serão retomadas assim que as chuvas derem tréguas.

O estabelecimento de ensino conta atualmente com 1.316 estudantes, 11 salas de aula, 31 docentes e um segurança.

O Diretor da Educação do Município de Díli, Duarte Bragança, disse, por seu turno, que o MEJD conhece as condições precárias deste estabelecimento de ensino, dado que integra a lista das escolas que serão alvo de obras de reparação ao longo deste ano.

“Não recebi ainda quaisquer informações sobre a questão. É sabido que durante a  época da chuva, esta escola sofre sempre inundações. Usar areia para tapar as poças de água não é a solução mais viável. Deverá ser alvo de reparação. É, por isso, que está incluída na lista de escolas a necessitarem de obras de reabilitação”, concluiu. (ono)

No More Posts Available.

No more pages to load.